15 fevereiro 2006

Quem diria?...

O Irão elogiou Freitas do Amaral...
As palavras são do embaixador do Irão em Lisboa: «O ministro Freitas do Amaral teve uma posição que deve ser destacada. Disse coisas muito positivas e muito lógicas». «Que liberdade é esta que vocês têm que vos permite dizer o que querem de outros santos de outras religiões?». Desculpem, mas aquilo que nós dissemos de Maomé não é nada comparado com aquilo que vocês acabaram de dizer do nosso MNE. Isso sim, é uma blasfémia. Não querem pedir desculpa?

Comentários

2 Comments:

At quarta-feira, fevereiro 15, 2006 1:35:00 da tarde, Blogger Hugo Monteiro said...

Oh Romano, não te chateies! O que lá os iranianos queriam era um motivo para pegar com alguém. Tal como os distúrbios em França, estes também começaram por algo considerávelmente diminuto. O que os políticos estão a tentar fazer é simplesmente acalmar os ânimos. Sempre é melhor do que lançar mais achas para a fogueira...
A menos que tenhas tempo e recursos para levar a cabo uma guerra que mate milhões de pessoas. E se me arranjares um motivo válido eu vou contigo, visto que não tenho nada mais interessante para fazer de momento.

 
At quarta-feira, fevereiro 15, 2006 8:21:00 da tarde, Blogger Sofocleto said...

Freitas percebeu que a história das caricaturas é fabricada de cima a baixo. Ao contrário de muitos outros.

 

Enviar um comentário

<< Home