22 fevereiro 2006

Quem dá tudo o que tem, a mais não é obrigado


No rescaldo de mais uma gloriosa vitória europeia, surge-me à cabeça um nome: Beto.
Beto é o jogador mais mal amado pela massa adepta desde os tempos do Zahovic. A multidão exaspera com os seus passes falhados, bolas perdidas e a sua extrema inutilidade em campo.
No entanto, eu acho que não é justo reclamar com o Beto. Ele não é um jogador particularmente técnico nem brilhante. É um mouro de trabalho. Não se cansa.
É também evidente que ele não joga nada, nem tem categoria para jogar no Benfica.
No entanto não é legítimo exigir-lhe muito mais. Ele não pode dar mais. Eu sei que é triste, mas ele não joga mais nada, e não é por assobiar o homem que ele vai jogar melhor. Simplesmente não dá. É pena…

Comentários

2 Comments:

At quarta-feira, fevereiro 22, 2006 3:52:00 da tarde, Blogger José Ribeiro said...

O Beto desiquilibra sempre que joga.. é Como hoje no jogo às 16h no sintectico :)

 
At quinta-feira, fevereiro 23, 2006 10:17:00 da manhã, Blogger Phillipe Vieira said...

pois, vocês jogaram como o beto e... nós ganhamos 15-9

 

Enviar um comentário

<< Home