14 fevereiro 2006

Disciplina britânica

No seu bichos carpinteiros Joana Amaral Dias decidiu presentear-nos com um vídeo de soldados ingleses a espancarem adolescentes. Passemos por cima do facto de JAD não estar interessada, desta vez, em descobrir as «causas profundas» e as «estruturas sociais» que se ocultam por detrás do comportamento dos soldados - nem a situação o pedia nele ela é propriamente um exemplo de coerência. Mas, apesar da prontidão com que a notícia veiculada pelo «News of the world» foi retransmitida no bichos carpinteiros, JAD mostra-se agora menos lesta a dar conta dos desenvolvimentos. Bem, não há problema, eu faço isso por ela: Blair anunciou a abertura de um inquérito e, supresa, hoje o «Expresso on-line» diz que... Um dos soldados ingleses suspeitos de agressões a civis iraquianos já se encontra detido, anunciou um porta-voz do Ministério da Defesa dos Estados Unidos. Mais do que a existência criminosos em todo o lado, aquilo que de facto parece estar a confundir (perturbar?) a autora do post é o facto de, ao contrário de Teerão ou Damasco, Londres condenar os seus. É essa a diferença entre o Ocidente actual e o Médio Oriente actual (por muito que alguns não a queiram ver). E não deixa de ser irónico que o título (já de si irónico) do post em causa - «Disciplina britânica» - acabe por ajustar-se de forma perfeita àquilo que agora está a acontecer. Enfim, diferenças. A realidade, às vezes, é uma coisa muito chata.

Comentários

4 Comments:

At terça-feira, fevereiro 14, 2006 8:38:00 da tarde, Blogger Sofocleto said...

Londres condena os seus! Lê o que se segue com atenção Pedro. E observa os links. E depois diz-me qualquer coisa.

Relembremos o dia 7 de Julho de 2005 em Londres:

O diálogo seguinte teve lugar na tarde do dia dos atentados (7 de Julho de 2005) rádio da BBC 5. O repórter da BBC entrevistou Peter Power, Director Chefe da empresa Visor Consultants, que se define a si própria como uma empresa de consultoria para a “gestão de crises”. Power é um ex-funcionário da Scotland Yard:

POWER: Às nove e meia da manhã estávamos efectivamente a realizar um exercício, utilizando mais de mil pessoas, em Londres, exercício esse baseado na hipótese de acontecerem explosões simultâneas de bombas, precisamente nas estações de metro onde elas aconteceram esta manhã, por isso ainda estou estupefacto.

BBC: Sejamos claros, você estava e efectuar um exercício para testar se estavam à altura de um acontecimento destes, e ele aconteceu enquanto faziam o exercício?

POWER: Exactamente, e foi cerca das nove e meia da manhã. Nós planeámos isto para uma empresa, que por razões óbvias não vou revelar o nome, mas eles estão a ouvir e vão sabê-lo. Estava numa sala cheia de gestores de crises e, em menos de cinco minutos, chegámos à conclusão que aquilo era real, e portanto passámos dos procedimentos de exercícios de crise para uma situação real.

O Sr. Power repetiu estas declarações na televisão (ITN). O clip de vídeo de dois minutos está disponível aqui.

 
At quarta-feira, fevereiro 15, 2006 12:39:00 da manhã, Blogger pedroromano said...

O que quer dizer...

 
At quarta-feira, fevereiro 15, 2006 8:13:00 da tarde, Blogger Sofocleto said...

That the attacks had to have been orchestrated by or with help from the very highest levels of British intelligence.

 
At quarta-feira, fevereiro 15, 2006 11:30:00 da tarde, Blogger pedroromano said...

I see dead people...

They're everywhere...

 

Enviar um comentário

<< Home