23 dezembro 2005

Breve

Relativamente ao problema do teste há uma correcção - ou, pelo menos, um acrescento - a fazer (proposto por um conhecido blogger que, aliás, já resolveu a questão). Um pequeno ponto, então:
Quando o professor diz que os alunos só terão conhecimento do dia do teste no próprio dia está, além de dar uma informação, a impor uma condição. Ou seja, o teste só poderá ser dado no dia «x» se - e só se - os alunos souberem (com 100% de certeza!) do dia do teste nesse preciso dia. Caso consigam descobrir previamente o dia para que o teste está marcado, então o teste já não poderá ter lugar nessa data - porque a condição imposta pelo professor não foi satisfeita.
Já agora, em duas respostas enviadas através de comentários e mais três endereçadas por e-mail, apenas uma está certa. Talvez devesse também ter sido mais explícito noutro ponto: os alunos não podem simplesmente assaltar a casa do professor e verificar a sua agenda (pensei que era um pouco óbvio - até que um anónimo arriscou essa solução), nem podem fazer um malabarismo introduzindo feriados e dias úteis, etc., como sugeriu o sr. Fernando Alves. Para chegar à solução não é preciso recorrer a acções laterais ou factos não definidos no problema. A solução está, de certa forma, «dentro» do próprio sistema lógico do problema: tudo aquilo de que se necessita para chegar à solução foi dito e não é preciso procurar nada debaixo do tapete ou atrás da porta; é uma questão lógica e não de pensamento lateral.
----------
Hugo, não percebeste: moderar os comentários é apenas uma forma útil de impedir que alguém possa solucionar publicamente o quebra-cabeças e assim impedir outros espíritos de indómita curiosidade de perseguirem por si mesmos - e sem qualquer tipo de ajudas externas - a resposta final... (Fica, mesmo assim, a garantia de que apenas os comentários relativos ao post em questão serão sujeitos a escrutínio).

Comentários

3 Comments:

At sexta-feira, dezembro 23, 2005 5:41:00 da manhã, Blogger Hugo Torres said...

Esclarecido. As desculpas pelo "ataque".

 
At sexta-feira, dezembro 23, 2005 11:49:00 da manhã, Blogger Tiago Mendes said...

Eu talvez alterasse para:

"Ou seja, o teste só poderá ser dado no dia «x» se - e só se - os alunos APENAS souberem COM 100% DE CERTEZA do dia do teste nesse preciso dia."

Isto porque imagino leitores a falar de probabilidades...

E é sempre bom mencionar que o problema é lógico e não de pensamento lateral (tipo assaltar o professor - etc): o português tem jeito para o desenrascaço, sem dúvida :)

 
At sexta-feira, dezembro 23, 2005 4:34:00 da tarde, Blogger Miguel Madeira said...

Eu deduzo que o teste não pode ser à sexta-feira (porque assim, logo na quinta-feira de manhã, eles ficariam a saber que o teste era na sexta - afinal, se ainda não houve teste e não é na quinta, teria que ser na sexta). Logo, só pode ser de segunda a quinta.

Mas, assim, também não pode ser na quinta: se fosse, na quarta-feira de manhã, eles ficavam a saber que o teste ia ser na quinta (exactamente pelo mesmo raciocinio). Logo, terá de ser de segunda a quarta.

Mas, exactamente pela mesma lógica, não pode ser na quarta, nem na terça, nem na segunda...

Ou seja, não vai haver teste e eles podem ir jogar à vontade.

 

Enviar um comentário

<< Home