09 setembro 2005

Diz-me quem defendes, dir-te-ei quem és

Dias Loureiro processa Francisco Louçã e acusa-o de estar a empregar «métodos terroristas». Aparentemente, o convívio e o diálogo com determinados sectores têm vindo a influenciar de sobremaneira o líder bloquista.
Entretanto, Ana Drago já gizou um pequeno texto - que vai apresentar na Assembleia - onde defende «o direito à diferença» e afirma que querer censurar o que um homem diz - ainda que seja mentira - é «tutelar o aparelho vocal de uma pessoa». No mesmo manuscrito a jovem do Bloco reafirma que é «imoral e desumana» a pretensão, de Dias Loureiro, de colocar Louçã em tribunal, uma vez que o seu lugar «não é no banco dos réus mas numa instituição de reinserção social»; isto porque o visado não está integrado na sociedade, vive num mundo imperialista e capitalista e, como tal, o terrorismo é a única maneira que ele tem de se expressar. O comunicado acaba com uma frase lapidar: «e quem discordar da nossa opinião é racista, xenófobo, preconceituoso e envergonha o Estado de Direito».

Comentários

2 Comments:

At segunda-feira, setembro 12, 2005 5:55:00 da manhã, Blogger Hugo Torres said...

Sabes, caro Pedro, há já tempo demais que não encontro o norte: não sei onde me dirija com a caneta. Quero muito pintar. Mas só me disponibilizam paredes pretas.
Não é resignação! Mas começo a ficar triste.

 
At segunda-feira, setembro 12, 2005 2:00:00 da tarde, Anonymous António said...

E quem não salta não é do Bloco!...

Parabéns pelo blogue que linkarei na próxima actualização Do Portugal Profundo.

 

Enviar um comentário

<< Home